Dia a dia

Momentos!

23:34


O que uma doença transformou em minha vida?



Bom, nada melhor que começar de o que eu era antes dela. Eu estava na igreja vivendo como uma do “mundo”, eu ouvia música seculares, assistia programas que não me edificavam, queria relacionamentos com pessoas não cristas e que não queriam nenhum tipo de relacionamento com Deus, porque eu acreditava que eu poderia mudar essa pessoa um dia (grande erro nosso pensar assim). Adoeci, de um minuto para o outro e com qual finalidade?
- Jéssica, você está dizendo que foi bom para você?
Sim estou! Eu tive momentos com Deus inesquecíveis, aprendi lições inesquecíveis, Deus me mostrou coisas que nunca vou esquecer e me mostrou acima de tudo que era comigo.

Eu cheguei a pensar que morreria de tanta dor, só que espiritualmente falando eu não podia morrer agora, eu não tinha completa certeza da minha salvação, e eu que O conhecia tanto, não ser salva era para mim algo que não queria, ninguém deveria perder a salvação. Mas o que estamos fazendo para merece-lá? NADA!

Devemos ter foco em quem Deus é, e em quem nós somos.

Do que eu fui liberta? De tudo que não provia do Senhor na minha vida, música, pensamentos, absolutamente tudo. Eu queria o melhor para minha vida a partir daquele momento, melhor que eu só teria em Deus, e eu quero viver o amor de Deus todos os dias.

As músicas que eu ouvia não me curaram, os cantores(as) que eu ouvia não me curaram, os programas que eu assistia não me curaram, as coisas com a qual eu perdia meu tempo ao invés de estar buscando mais de Deus não me curaram, Deus me curou!!

- A Jéssica mas você tomou remédio, isso que te curou.

NÃO! Minha fé é maior que a eficiência dos remédios, eles podem ter aliviado as dores da minha carne, mas as dores da minha alma eram muito maiores.

Você só tem certeza da sua salvação quando você não tem medo de morrer e não ser salvo, e minha alma estava assim. Deus curou minha alma, aquilo que vai comigo depois da morte, Deus me libertou dos meus medos e desejos mundanos.
Eu poderia tentar me justificar um dia inteiro sobre o porque Deus mudou a minha vida naquele momento, mas não valeria a pena pois muitos não entenderiam, somente quem já passou por isso sabe como é.

- Jéssica, mas você já era cristã, frequentava a igreja e tudo mais, como poderia estar assim?

Bom, de nada adianta viver na igreja e não viver cristo. Eu não estava vivendo, eu falava para as pessoas não ouvirem músicas seculares mas no meu celular só tocava aquilo, eu falava para as pessoas lerem mais a bíblia mas eu não lia, eu falava “JEJUEM” mas eu mesma comia o tempo inteiro. Eu não me consagrava para Deus, eu queria o melhor dEle mas não dava o melhor para Ele. Isso é injusto, cobrar algo de alguém que você não dá nada em troca. Entendam, Deus não precisa do nosso dinheiro (Dizimo e oferta é obrigação não favor), mas ele não precisa, ele precisa de coisas tão simples como: Louvor, adoração, oração, elevação. Ele necessita do nosso amor, tanto quanto nós precisamos do amor de Deus em nós.

Eu tive uma experiência incrível com Deus nesses dias, eu sentia como se estivesse perdendo ele e em uma tarde, em uma oração que eu digo que foi uma conversa franca com o Pai, eu me senti tão próxima dEle e era tanta paz em mim que eu não entendia como poderia mesmo com tanta dor ter tanta paz. Eu tenho uma gratidão tão grande por Deus.

Fui ali naquele momento gerada uma vontade absurda de adorar a Deus, de chorar (não de dor, mas de alegria por saber que Ele estava ali comigo), eu senti uma vontade absurda de falar de Deus para todos, de gritar nos quatro cantos do mundo que só há um único Deus, uma única verdade, um único salvador. E que Ele está disposto a nos perdoar a todos os segundos de nossas vidas. Ele é Pai, ama como um pai, cuida como um pai e protege acima de tudo.

Tudo aquilo que foi colocado em minhas mãos eu queria dar o meu máximo. Eu não queria mais relacionamento, eu queria esperar em Deus, pois na hora dEle vem com perfeição. Eu queria dar o meu melhor na casa de Deus, do altar ao portão, eu queria dar o meu melhor na dança e na limpeza, no banco ou no altar. Mas eu não queria viver somente para Deus dentro da igreja, eu quero viver para Deus fora dá igreja. Mostrar quem é Deus em mim, e o que ele fez em minha vida.

- Jéssica, quer dizer que sentir dor e medo vieram para o seu bem?

Sim! Deus precisava me mostrar onde eu estava e como eu estava. Eu precisava retornar aos meus princípios. Precisava voltar ao meu primeiro amor, eu aprendi a dar valor ao culto quando eu perdi um por dor, eu aprendi a dar valor ao louvor, quando perdi um por dor, eu aprendia a dar valor a Deus quando quase o perdi. E percebi, quantas vidas vivem assim? Quantas pessoas vivem assim a todos os momentos, não vivem com a paz de Deus em si? Quantas almas nós cristãos estamos perdendo?

Não é hora de pensarmos em nós, é hora de pensarmos nos de fora, é hora de pensarmos naqueles que não estão na presença de Deus. É hora de vivermos não por nós e sim por Deus. E hora de cumprir o IDE, é hora de buscar como se fosse nosso último segundo, é hora de querer mais de Deus, é a nossa hora! Vamos viver, vamos evangelizar, vamos mostrar a todos como o amor de Deus é real, é eterno e é único.

Me desculpem se ficou um pouco confuso, mas esse texto foi feito de uma forma única, eu apenas escrevi aleatoriamente aquilo que me vinha, sem edição de texto, sem revisão, sem pensar em nada só em Deus e o tanto que eu tenho que fazer por Ele aqui. 


 

You Might Also Like

0 comentários

SUBSCRIBE

Like us on Facebook